Quando a procrastinação vira um hábito, Cuidado!

Porque procrastinamos e como podemos nos livrar deste hábito ruim?

Do que adianta o coração se encher de inspiração, os olhos brilharem com ideias incríveis, as mãos doerem de tanto escrever no papel, se me falta atitude, força de vontade e determinação?
Porque é que eu não faço o que me proponho a fazer? Qual o motivo de não realizar aquilo que vai me levar para frente, que vai me trazer resultados?
Por que a procrastinação nos prende a ciclos viciosos e o que podemos fazer para mudar nossas atitudes e pensamentos?

QUANTAS METAS VOCÊ JÁ COLOCOU NO PAPEL E NÃO CUMPRIU?

Procrastinar é a arte de deixar algo para amanhã. O que não teria problema, nem seria algo ruim se você não tivesse o péssimo hábito de SEMPRE, todos os dias fazer isto.
A procrastinação é algo terrível, te consome, te aprisiona e te deixa pra baixo! Quer ver um exemplo simples?

Você vai dormir, coloca o relógio para despertar cedo. Acorda cheia de disposição, vai desligar o despertador e vê que tem algumas notificações do whatsapp, facebook, instagram, então, resolve olhar rapidinho para ver se tem algo importante. Quando se dá conta, já passou 30 min. Vixiii! Levanta da cama, vai até o banheiro, e, socorro, meu cabelo está péssimo, preciso lavar. Quando sai do banho, passou mais 20 min. Caramba! Já estou atrasada.

Vai tomar seu café correndo, vê que não vai dar tempo, faz tudo rápido e vai comendo na rua… Anda o mais rápido possível para pegar o primeiro trem que passar, consegue chegar a tempo, respira! Lembra que não separou o almoço, vai ter que comer fora. Hmmm, tem batata frita, só hoje pode. Quando eu chegar vou fazer exercício porque não deu tempo de manhã. Chega em casa morta depois do trabalho, só quer tomar um banho e esticar as pernas. E é o que você faz!

Traz o computador pra cama, precisa fazer um post, só que você não está com inspiração, entra em outros blogs para ver o que está rolando e achar algum assunto que lhe agrade. Olha o relógio, passou 1 hora, Caramba, o dia passou voando. Nossa. hoje é dia 25, saiu episódio novo daquela série, preciso muito assistir. Lá se foi mais 1 hora. Amanhã eu faço o post, até porque o sono já está batendo. Pega o livro para ler, na terceira página leva um susto, estava cochilando… Apaga a luz, coloca o relógio pra despertar e vai dormir. 

E assim os dias, os meses e os anos vão passando… E então são acúmulos de compromissos e tarefas adiadas, passos em direção ao seus sonhos que são deixados para trás, para o amanhã, para o nunca…
Você não quer ser assim, sabe que deveria ter feito o que se comprometeu a fazer, fica com peso na consciência, chora de raiva de você mesma. Porém chorar e ter raiva não ajuda e não melhora as coisas.

As única coisas que farão você melhorar e que te ajudarão á alcançar e realizar suas metas são as atitudes corretas.
O auto-controle das suas emoções e o entender dos motivos pelos quais você adia suas coisas é um ótimo começo para obter disciplina e consequentemente bons hábitos. Ter consciência de que só você pode fazer por você mesma é entender que você tem o controle e pode sim concretizar suas metas!

Eu gosto muito do Erico Rocha e ele posta vários vídeos com dicas de empreendedorismo. Separei estes 2 vídeos que assisti hoje e que fez muito sentido pra mim. Principalmente pelo fato dele usar exemplos tão simples e do cotidiano, que você se pega pensando em diversos outros exemplos que já aconteceram com você. Situações em que você poderia ter mudado se você tivesse auto-controle e consciência de ser!

Entendimento é algo muito simples, mas, simples não significa ser algo fácil. Vai te exigir esforço, dedicação e muita força de vontade. Vai exigir quebrar de tabus, de crenças e de hábitos.
Fez muito bem para mim ouvir tudo que o Erico disse, e, acredito que vai fazer muito bem pra você também.

E vale muito assistir este outro vídeo que ele cita.

Espero que este post te ajude de alguma forma, assim como me ajudou ao escrever, ao assistir os vídeos e agora nas minhas atitudes futuras… Mil beijos!

No Comments

Leave a Reply